C A- A A+

  0800 703 4545Atendimento 24 horas

Dia Mundial da Luta Contra as Hepatites Virais - 28/07

 

Dia 28/7 é o “Dia Mundial da Luta Contra as Hepatites Virais”, por esse motivo, em julho, o Ministério da Saúde dedica-se à orientar a população referente ao assunto. A data foi instituída em 2010 pela Organização Mundial de Saúde - OMS com o objetivo de alertar a todos quanto à doença, às formas de contágio e às medidas de prevenção.

O amarelo foi a cor escolhida, propositalmente, para as campanhas de alerta, uma vez que a maioria das pessoas doentes apresentam como sinais e sintomas pele e olhos amarelados, cansaço, febre, mal-estar em geral, tonturas, enjoos, vômitos, dor de cabeça, perda de apetite e dor abdominal.

São conhecidos 5 (cinco) tipos diferentes de vírus causadores da hepatite, quais sejam: A, B, C, D (ou delta) e E. Esses cinco agentes etiológicos têm o fígado como órgão alvo, causando-lhe inflamação e deterioração.

Os vírus A e E são transmitidos pela via oral-fecal, assim, pessoas expostas a más condições de saneamento básico são as mais propensas a serem infectadas. O vírus A também pode ser transmitido pelo contato entre pessoas. As hepatites causadas por esses vírus apresentam-se apenas em suas formas agudas e, geralmente, possuem evolução benigna progredindo para cura, o que significa que o paciente infectado por um desses vírus pode se recuperar e eliminar completamente o vírus do organismo.

Os vírus B, C e D possuem como via primária de transmissão a parenteral, ou seja, contato com sangue e hemoderivados contaminados. Os vírus B e D, também podem ser transmitidos por contato sexual e vertical (mãe infectada transmite para o filho recém-nascido, durante trabalho de parto ou no período neonatal). Quanto ao vírus tipo C, os receptores de sangue, usuários de drogas injetáveis, pacientes de hemodiálise e profissionais de saúde (vítimas de acidentes perfurocortantes) são os que apresentam maior risco de infecção. Esses três vírus possuem a capacidade de se replicarem dentro das células hepáticas, o que causa a evolução da hepatite para a forma crônica, que tem como principais complicações a cirrose e o câncer de fígado.

As hepatites virais mais comuns em nosso país são os tipos A, B e C, porém existem vacinas apenas para prevenção das hepatites A e B. As hepatites crônicas ocasionadas pelos vírus B, C e D possuem tratamento, mas não são eficazes em 100% dos casos, pois não há erradicação total do vírus do organismo.

A Fundação Assefaz se preocupa com a saúde e o bem-estar de todos os membros beneficiários e entende que acesso à informação também é uma forma de prevenção.

Fique atento e previna-se!